Últimas Do Blog

Como comparar desenhos de tipos

por Daniela Franca   |    em 29 Agosto 2017   |   

Ao iniciar um projeto de livro, é natural estar indeciso em relação à escolha de uma fonte para o seu texto. Entre diversas categorias de tipos para texto, como escolher uma fonte entre tantas outras? É claro que muito do que analisamos cai no terreno do gosto pessoal. Porém, antes de qualquer coisa, a maneira de compará-las pode ajudar na escolha tipográfica adequada para o objetivo do seu projeto. Assim, este post inicial visa esclarecer algumas questões sobre como comparar diferentes desenhos de tipos.

Fred Smeijers, em seu livro Contrapunção, nos auxilia a entender a fabricação de desenhos de tipos e nos dá algumas dicas de como compará-los. O capítulo Comparando desenhos de tipos (p. 33) descreve alguns passos para a realização de um teste de fontes que podem ser úteis para resolver nosso problema. Normalmente, tipos para texto são comparados por meio de pequenas amostras no mesmo corpo. Porém, isso não nos diz muito, pois o tamanho nominal de um tipo não é a descrição exata de seu tamanho aparente (ou tamanho óptico).

O tamanho nominal de uma fonte é o valor do corpo utilizado por exemplo, 12pt. Quando se compara diferentes fontes com o mesmo tamanho nominal, as mesmas podem apresentar diferenças gritantes de tamanho óptico, o qual pode variar em função da altura-x, peso, contraste, espaço entre palavras, largura, entre outros atributos. Para demonstrar, utilizamos as fontes Abril Text, Alegreya e Zenon, todas no corpo 12pt. 

Perceba que apesar do tamanho nominal (12pt) ser igual, a altura-x das três fontes é diferente.

Com o tamanho aparente incompatível, não há como compará-las e, assim, não conseguiremos decidir qual fonte encaixa-se em seu projeto. (Clique para visualizar em tamanho real)

Assim, como coloca Cyrus Highsmith em seu livro Entre Parágrafos (p. 39), pode-se perceber que a medida do corpo não diz respeito ao tamanho das letras propriamente ditas. Para o leitor, dois desenhos de tipo, compostos em um mesmo corpo, podem parecer diferentes”. Se pensarmos em terrenos com mesma metragem, não podemos deduzir que todas as casas ocupam o mesmo espaço deste terreno, certo? A mesma analogia se aplica aos desenhos de tipos: o mesmo tamanho nominal não garante que suas características estruturais sejam iguais.

Para comparar efetivamente duas ou mais fontes, é preciso que as medidas de altura-x sejam iguais. Ou seja, é preciso compará-las equalizando os tamanhos aparentes. Ao analisar as amostras realizadas sem o ajuste da altura-x, conseguiremos visualizar as diferenças entre os tipos, mas não conseguiremos compará-las efetivamente. Somente com o tamanho aparente igualado conseguiremos identificar o que acontece dentro de um bloco de texto e escolher qual fonte se encaixa melhor no objetivo do projeto.

Com o tamanho aparente igualado, conseguiremos realizar um teste de fontes efetivo.

Este é o resultado final do teste de fonte: com os tamanhos aparentes iguais, conseguiremos analisar o que acontece dentro do bloco de texto (rendimento, peso etc) e, assim, decidir qual a fonte mais adequada para o projeto. (Clique para visualizar em tamanho real)

Smeijers diz: Para fazer o teste, primeiro imprima algumas passagens de texto de amostra, com os desenhos de tipo na mesma altura-x. () Agora olhe. Um tipo parece ser mais escuro que o outro? Como essa cor mais escura é obtida? As partes finas são fortes o suficiente? Ou são finas demais, e visualmente irritantes?”. É interessante levantar questionamentos como estes antes de escolher a fonte para seu projeto, pois estas perguntas podem responder muito do que o seu projeto deseja transmitir.

Portanto, estes passos visam auxiliá-lo a decidir entre uma fonte mais escura ou uma mais clara, de contraste alto ou baixo, mais estreita ou mais aberta, e assim por diante. Este teste também serve para comparar o rendimento (i.e. quanto texto cabe em determinado espaço) de fontes diferentes. Estes passos podem ser bons parâmetros decisórios para seu projeto.

Além destes passos, o livro Contrapunção sublinha questões fundamentais para o design de letras e tipos. Esta obra, que explora os fundamentos do design de tipos em sua essência, é considerada uma das principais referências contemporâneas sobre o assunto. Vale a pena conferir tudo que Fred Smeijers tem a dizer.

 

As fontes utilizadas para os testes foram: Abril Text (TypeTogether), Alegreya (Huerta Tipográfica) e Zenon (C-A-S-T). Acompanhe nossos conteúdos regularmente.



Leia Também

Relações entre corpo e entrelinha

por Daniela Franca     |      em 25 Outubro 2017      |     

Nosso último post permeou alguns parâmetros de como comparar diferentes desenhos de tipos. Após realizar o teste de comparação de fontes e, por fim, escolher uma, poderemos começar a esboçar outros atributos do projeto gráfico. Pode-se iniciar um projeto de diferentes maneiras, porém, neste post, falaremos sobre a especificação de corpo e entrelinha como um […]

Como comparar desenhos de tipos

por Daniela Franca     |      em 29 Agosto 2017      |     

Ao iniciar um projeto de livro, é natural estar indeciso em relação à escolha de uma fonte para o seu texto. Entre diversas categorias de tipos para texto, como escolher uma fonte entre tantas outras? É claro que muito do que analisamos cai no terreno do gosto pessoal. Porém, antes de qualquer coisa, a maneira […]